Meu pai estava internado para uma cirurgia na cervical. Não sei ao certo se a sepse foi devido à infecção hospitalar ou se desenvolveu a partir dele já que tinha pulmão de fumante.
Ficou internado mais de um mês aguardando a prótese da coluna chegar.
Ele estava ótimo. Bem disposto, falante, etc. No outro final de semana ele relatou dores na perna direita e eu o percebi abatido.
No outro final de semana. No domingo meu pai teve uma trombose grave. Disse que doía tudo. Eu muito confusa e nervosa, pedi ajuda. Era um domingo só tinha um médico plantonista. Que passou morfina para dor. Fui para casa. Retornei na segunda meu pai já estava em estado grave e ninguém dizia exatamente o que era. Hoje sei que ele já estava em estado de choque séptico. Antes não. Não entendia nada. Os médicos disseram que deu trombose grave e estado dele era gravíssimo. Na terça feira o pouco de chance de sobrevivência era amputar a perna. E os médicos não diziam nada de sepse. Amputou a perna foi direto para CTI em coma. Os médicos falaram que foi uma trombose grave. E que ele não reagiu bem devido ter saúde debilitada.
Conclusão, só passou mal no sábado com sintomas de sepse (hoje eu sei),
e só foram me informar na outra sexta feira quase uma semana depois que ele estava com a infecção generalizada. No dia seguinte meu pai veio a óbito.
Falta de informação dos próprios médicos. Nunca tinha ouvido falar em sepse. Não entendia nada. Achava até que sepse era infecção hospitalar. O que pensei que ele teve o levou a óbito.

Leave A Comment