Meu depoimento é bem curto, talvez como o de qualquer outra pessoa que passa por uma história de sepse. Em 10 Agosto de 2017 meu amado Pai deu entrada em um hospital da rede pública no Rio de Janeiro com quadro simples de AVC isquêmico. Sua internação passoua ser complicada na medida em que os dias passavam.

Sua transferência para uma UTI foi o limite após ser diagnosticado com pneumonia evoluindo assim para uma sepse, não demorou muito em 15 de Setembrodias após comemorarmos o dia de combate a sepse papai faleceu. Em sua certidão de óbito, bem clara, o motivo da morte, AVC, pneumonia e por fim ela, a Sepse. Entrei na batalha no campo da saúde desde que me tornei enfermeira em 1999, porém não foi suficiente, não fazemos milagres e jamais imaginei que perderia alguém da família assim. Esta é minha história com final triste.

Deixe um comentário