Sem categoria

27
jul

PROJETO DE LEI 01-00665/2018 DO VEREADOR AURÉLIO NOMURA (PSDB)

Lei que tornará obrigatória a adoção de programa de prevenção à sepse e de protocolo de diagnóstico e tratamento, por hospitais, clínicas e unidades de saúde, públicos e privados, que prestem serviços de saúde no âmbito do SUS, no Município de São Paulo. O programa de prevenção à sepse contemplará algumas medidas de segurança como: medidas preventivas na atenção básica

Leia mais

16
jul

Audiência pública em 13/09/2019 – PL 664 e PL 665 Vereador Aurélio Nomura

Audiência pública realizada em 13 de setembro de 2019 para discussão dos projetos de lei Nº 664/18 e Nº 665/18 LEI Nº 17.361 DE 1º DE JULHO DE 2020 (PROJETO DE LEI Nº 664/18 – VEREADOR AURÉLIO NOMURA – PSDB)   Altera a Lei nº 14.485, de 19 de julho de 2007, para incluir no Calendário de Eventos da Cidade

Leia mais

1
jul

Global, regional, and national sepsis incidence and mortality, 1990–2017: analysis for the Global Burden of Disease Study. The Lancet January 2020

Lancet Global, regional and national sepsis incidence and mortality 1990-2017

22
ago

Curso Elaborado em parceria AMIB-ILAS

20
ago

Convite Audiência

20
ago

Sobreviventes da Sepse

20
ago

A sepse na pediatria

18
dez

Mortalidade por infecção geral no país é o dobro em hospital público

16
out

Morte por infecção é duas vezes maior na rede pública do que na privada

Estudo mostra que 42,2% dos pacientes com sepse morrem nos prontos-socorros de instituições do governo, ante 17,7% nas unidades privadas. Dificuldade de acesso às UTIs e diagnóstico tardio estão entre as causas do problema A taxa de mortalidade por sepse, ou infecção generalizada, é mais de duas vezes maior nos hospitais públicos do que nos privados. Estudo divulgado pelo Instituto

Leia mais

16
out

SAÚDE: MORTE POR INFECÇÃO NO PAÍS É O DOBRO EM HOSPITAL PÚBLICO

Um estudo inédito em 74 hospitais de todo o país mostra que a taxa de mortalidade de pacientes com sepse (infecção generalizada) nos prontos-socorros públicos é mais que o dobro da registrada nos privados (42,2% contra 17,7%). Vários fatores podem explicar essa diferença, entre eles a demora do paciente em acessar o serviço de saúde, o diagnóstico tardio, o tratamento

Leia mais